Conquistar sonhos com estudo e esforço para vencer

Realizar um sonho de vida também pode ser o combustível para
começar um projeto paralelo. Você sabe qual é seu sonho? Você já
respondeu a essa pergunta alguma vez de maneira 100% honesta?
Para começar a respondê-la, deve-se saber que existe uma resposta
que não é aceita (por mim): viajar o mundo.

Esse sonho é muito padrão, um clichê. Todas as pessoas que conheço
sonham em viajar o mundo, inclusive eu. A diferença é que a maioria
delas confunde sonho com fantasia num exemplo como esse.
Para Gabriel Gomes, meu sócio na Shoot The Shit, fantasia significa
fugir da realidade.

É imaginar uma situação que não se conecta em
nada com aquilo que você faz no seu dia a dia. Ser um rockstar, ter
uma ilha particular, pisar em Marte, ser atacante do Barcelona.

Você não faz nada para que isso aconteça, mas fica alegre só de pensar em
realizar.
Já sobre sonhos, ele diz: “Sonho é próximo, você trabalha para isso, é
provável, é necessário”. Ou seja, sonho é algo que você quer realizar conquistar a formação treinando no simulado encceja 2020
pelo qual está fazendo algo.
Então, antes de responder essa pergunta com “viajar o mundo”,
pense: você faz algo para que isso aconteça?
Se sim, então o autorizo a usar essa resposta. Se não, procure outra.
Busque respostas honestas que realmente conversem com aquilo
que você deseja em sua vida, e, se por acaso não encontrar nada, pense em um projeto paralelo para descobrir isso.

Talvez você seja apaixonado por cifras de música ou goste de
discutir jogos de videogame com seus amigos. Escrever é um hobby
comum de muitas pessoas, assim como cozinhar. Ajudar quem precisa,
ensinar quem não sabe, aprender coisas novas, consertar as antigas.
Chamar a atenção para algum problema, tentar solucionar algum
outro. Cachorros, gatos, futebol, corrida, canto, pinturas, design,
desenho.

A possibilidade de assuntos que você pode trabalhar é infinita.
Jessica Hische e Russ Maschmeyer, dois designers americanos,
queriam ensinar programação de uma maneira descontraída e fácil, e
o resultado disso foi o site Don’t Fear the Internet.

Outros dois designers americanos, Jessica Walsh e Timothy Goodman, estavam
cansados de desilusões amorosas e por isso começaram o 40 Days Of
Dating, um projeto no qual eles, amigos de longa data, decidiram ser um casal por 40 dias.

Minha amiga e minha ídola na arte de como viver a vida, Mariana
Camardelli, na falta de encontrar no Brasil um mestrado que
satisfizesse seu interesse por Design de Experiências, listou matérias apra estudar e ser aprovado no exame do Encceja 2020
eventos sobre o assunto mundo afora e foi atrás de todos eles. Um
projeto paralelo/mestrado alternativo que eu respeito. Ela ainda criou
o Correio Cósmico, um “serviço de entregas do universo”, onde ela
envia 100 cartas para 100 pessoas inspirarem-se a pedir para o
Universo o que elas desejam na vida.

Lá por 2011, eu e uma outra amiga, Gabriela Guerra, Diretora da
ThoughtWorks no Brasil, queríamos ver mais vídeos do TED por
acreditar que eles eram uma boa fonte de conhecimento e queríamos
compartilhar com outras pessoas aquilo que a gente aprendia.

Assim nasceu o One Ted a Day, um blog onde todos os dias a gente postava
uma palestra com um comentário nosso sobre seu conteúdo.

María Sanoja, designer dominicana, queria uma vida com menos
overthinking (pensamento em excesso, traduzindo para o português de
forma bem objetiva). Cansada de se perceber constantemente
pensando muito sobre tudo, e interessada numa mente mais
consciente do momento presente, ela criou o 100 Days Of
Overthinking, um site onde ela postou, por 100 dias, coisas que ela
percebia e que antes passavam batidas por causa da quantidade de
pensamentos que a cegavam da vida ao redor.

A designer Tina Roth Eisenberg odiava o quão feias eram as
tatuagens temporárias para crianças e criou a Tattly como solução.

Ela também achava que faltavam momentos para a comunidade criativa
de Nova York se encontrar, e em resposta a isso tirou do papel o
Creative Mornings, uma série de palestras durante o café da manhã
que hoje já existe em mais de 150 cidades pelo mundo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *