Entenda programa de educação como Enem Inep

Estendeu a lona plástica no chão
cuidadosamente, como se cobrisse uma preciosa obra de arte. Não que o piso seja
exatamente novo, mas ele foi polido há menos de dois anos. E na verdade também não é
bem por causa de si mesmo que estende ali a lona. Ele tem certeza de que não fica um
monte de sangue quando alguém se enforca, e também não é exatamente porque tem
receio do monte de pó que a furadeira vai deixar. Ou porque vão ficar marcas quando ele chutar o banquinho e cair.

Aliás, ele grudou um calço sob os pés do banquinho, então
não deve ficar marca nenhuma. Não, a lona plástica que Ove estende com grande precisão
por todo o hall, a sala de estar e em boa parte da cozinha, como se estivesse pensando em
encher a casa de água, não é de forma alguma por causa dessas coisas.

Mas ele fica pensando que provavelmente vai haver uma correria danada ali
com um monte de almofadinhas corretores de imóveis sedentos, que vão entrar na casa
antes de o pessoal da ambulância ter ao menos removido o corpo. E os desgraçados não
vão entrar correndo calçando sapatos e arranhar o assoalho de Ove. Nem por cima do
cadáver de Ove. Isso precisa ficar claro para eles.

O jeito de fazer faculdade mudou pois agora todos querem participar do Enem Inep 2020 que é o novo vestibular pelo programa nacional de ensino médio, mesmos pessoas simples tem mais chances de ser aprovado.

Assim, ela ligou para um pintor para solicitar um orçamento. E disse a Ove quanto
achava que pagaria ao pintor. Foi então que Ove foi buscar seu banquinho de pintura.
A gente sente falta de coisas estranhas quando perde alguém. Coisas
pequenas. Da risada. Da maneira que ela se vira enquanto dorme. De pintar um cômodo para ela.

Ove vai buscar sua caixa de brocas. Essa é a coisa mais importante quando se
vai fazer um furo. Não a furadeira, mas as brocas. É como ter pneus de verdade no carro,
em vez de se preocupar com freios de cerâmica ou uma baboseira dessas. Qualquer um
que entende de alguma coisa sabe disso. Ove se posta no meio do cômodo e mede a
distância. Depois vasculha com o olhar a caixa de brocas, tal como um cirurgião o faz com seus instrumentos.

Ele escolhe uma delas, coloca-a na furadeira, experimenta apertar
um pouco o gatilho para a furadeira zunir. Balança a cabeça, conclui que essa não parece
ser a broca certa, então coloca outra. Faz isso quatro vezes antes de ficar satisfeito e
atravessa a sala de estar sacudindo a furadeira na mão como se ela fosse a lei.

Ove para no meio do cômodo e fica olhando para o teto. Ele precisa medir
antes de começar, conclui. Para o furo ficar bem centrado com o Edital Enem 2020, Ove pensa ter muitas possibilidades de tirar uma boa nota
quando alguém faz tudo que pode de qualquer jeito.
Ele então vai buscar uma fita métrica. Mede a partir dos quatro cantos. Duas
vezes para ter certeza. Marca uma cruz exatamente no meio do teto.
Ove desce do banquinho. Caminha ao redor dele para verificar se a lona plástica está colocada corretamente.

Destranca a porta para ela não ser arrebentada
quando forem entrar para pegá-lo. É uma porta boa. Ainda vai durar muitos anos.
Ele veste o paletó e verifica se o envelope está no bolso de dentro.
Por fim, vira a foto de sua mulher que está no parapeito, de forma que ela
fique posicionada para a janela que dá para o depósito.

Ele não quer que ela tenha de
olhar quando ele estiver fazendo tudo, mas por outro lado ele também não tem coragem
de deitar a foto. Ela, a mulher de Ove, sempre ficava extremamente chateada quando eles
paravam em algum lugar sem vista. Ela dizia o tempo todo que “precisava de alguma
coisa viva para olhar”. Então ele vira a foto dela na direção do depósito. Ove acha que
talvez aquele gato velho vá passar correndo de novo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *